solitário

quando já não se consegue mudar o mundo, quando ele se perdeu nas notícias, nas cidades, nessa agitação sem caminho, o mar é um lugar possível e as pessoas que o bordejam, e as que o navegam. Dizem, “muita gente junta não se salva”, e é verdade. Com ou sem razão, que importa. O que fica, sem ficar nada, é a tua alegria, a tolerância e o respeito pelo outro. O resto é conversa estúpida e ganância desenfreada.