cena

Ao título desta cena de 30 anos em que Portugal viveu e vive, uma ilusão com uma sombra infinita, que não se pode chamar teatro, este é bem mais honesto, dizia, a esta ilusão, parecida com a juventude, onde conta mais o que pareces do que o que és, daria o título “A ditadura do dinheiro”. Mas isso não se ajusta ao que Portugal é, um país que nos deixaram no colo outros que por ele deram a vida. E se Portugal é, porque deixamos governar quem quer parece que é?

Os Maias – Teatro da Trindade

Ir ao teatro comça a ser uma opção séria. O paradigma de todos nós, com a crise que se vive, vai mudar nos próximos vinte anos; não seremos os mesmos depois desse tempo. Vamos até ter um conflito sério, uma guerra global, uma fome que fará mexer, a tristeza que dormirá sobre a tristeza, o sofrimento que não parece desaparecer.

Mas depois disso, vamos deixar as pressas, as sedes de sucesso, a ânsia de brilho… vamos passar a ter outras certezas: o estar em vez de passar, o ser em vez de parecer, o repartir em vez de encher, o sentir que somos todos, inevitavelmente, mundialmente, ligados por caminhos que nem sequer imaginamos, por lugares-tempo sem regresso, por partidas definitivas.

Continue reading “Os Maias – Teatro da Trindade”