fuga

vivemos em fuga, a uma velocidade vertiginosa, sem paragens. Fugimos de quê, e para onde podemos fazê-lo? A resolver alguma coisa é aqui, neste quase-esfera colorida no meio de nenhures. É o fast-living ao mesmo tempo que o fast-food, mas não em todo o lado. Alguns já começam a redescobrir o campo.Outros sempre viveram por lá.

Pensava que era este o sistema que melhor redistribuía a riqueza, afinal, parece complexo demais. Não acho. Parece-me antes que, em Portugal, teremos de associar à Democracia, uma gestão mais horizontal para que mais cabeças possam decidir. Teremos que associar à Democracia, transparência para que os chico-espertos não se apoderem da sombra para negociar.