a cela que te encerra ou o que foste capaz de fazer

Sei ficar zangado. Sei que o mundo é mais complicado. Talvez não tenha é a consciência disso. Saber isso e ter consciência disso são duas coisas diferentes. Mais complicado se torna quando nos vamos debruçando sobre a sua loucura. E se pensamos muito, a coisa é tão intricada. Melhor é parar nalgum momento. E depois também custa fazer uma representação. Custa não ser sincero e trivial. Aceitar o teatro é difícil, vestir uma cara diferente, treinar uma cara diferente, consistente, é ainda mais difícil. Representar todos os dias, a cada minuto, personagens diferentes é outro sumo. Há um extremo de tudo isso: a mentira.

Continue reading “a cela que te encerra ou o que foste capaz de fazer”