a outra geografia


há uma geografia que descobrimos quando os entes mais queridos se vão, é a emocional. São como cordas que se partem sem fazer barulho, mas que nos encolhem essa geografia de modo drástico e duradouro, ao ponto de nos afectar também a nossa geografia física, ao ponto de nos dar um pontapé do qual não nos safamos nunca. Apenas aprendemos a circundar esse vazio, se tivermos sorte de o conseguir fazer.

4 thoughts on “a outra geografia

  1. O vazio vai-se tornando mais pequeno, até desaparecer e deixar uma luz colorida que fica para sempre. Aí vais começando a sentir que tiveste muita sorte em ter tido uma relação assim, em ter conhecido um ser humano maravilhoso que partilhou parte do seu brilho contigo, que te aqueceu horas de Inverno e que te fez pensar que valeu a pena cá estar.

  2. Nunca sabemos o que significamos para os outros. Nem eles o sabem completamente. Só saberão quando, ou se, nós lhe faltarmos. O importante é tentar suavizar a vida deles, porque a nossa também se torna então melhor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s