O Gato


O Gato morreu hoje. Não é nem o meu gato, nem um gato, é o Gato. Espremesse o meu coração e sai uma alegria enorme quando penso nele. Mas a saudade que deixa, a companhia que fazia, a  falta que faz, torna este mundo muito mais triste. Uma delicia de animal, uma serenidade e uma sabedoria que nenhum de nós alcançará. Um animal acima de todos os animais, nem precisava de falar, sabia muito bem comunicar e sabia muito bem o que queria. Amo este gato, o gato, como um filho, um companheiro, um amigo. Protegi-o, tirei da minha boca para a dele, fiz sacrifícios para o bem estar dele, partilhei alegrias e tristezas com ele, seja quando ele estava zangado ou quando era a minha vez. Fazia parte da família. Acho que conversava mais com ele em silencio do que com os amigos, aprendia mais em silêncio do que os humanos a falar, ele acalmava-me, bem podia vir zangado que o olhar dele me dizia, deixa lá isso, não tem importância nenhuma. Dá-me mas é colo! Obrigado Gato. Foi um prazer viver contigo. É só escrevo isto porque não consigo conter esta tristeza. Tinha muitos nomes, diminutivos e aumentativos, nomes lamúrias e suclencias. Amanhã direi mais. Hoje vou chorar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s