O que se perde de vez

Há uma voz que disse, vocês europeus perderam o sentido de família, é esse o vosso problema principal. Bem verdade. Ainda vai havendo sintomas de ajudar quem está, ou deveria tar, mais próximo. Não é que seja o problema principal, é um deles. Esta correria empurra-nos, e no fim, estatelamo-nos no chão como perdidos. Há volta nada, ou muito pouco. E nem a poesia te salva do que perdeste. Ficas sabiamente ferido. Para sempre. Dito.

ilusão maior

a de que não morremos um desses dias à frente

Música e histórias que valem

Mesmo que seja sobre Lisboa, a música internacionaliza, mas as histórias que se contam, sobre Lisboa, contam.

https://www.rtp.pt/play/p1953/e382849/david-ferreira-a-contar-consigo

liberdade

300px-Federica_MontsenyPensem os inimigos da liberdade o que pensarem uma sociedade trás em si o embrião de uma nova ordem que lhe sucede.

Federica Montesory, https://pt.wikipedia.org/wiki/Federica_Montseny

 

E  história repete-se, descrito num excelente documentário que passou, obviamente, na RTP 2.

Ao que parece, já ninguém, ou poucos procuram, como Federica o fez, em ser cultos e adultos. Preferimos, em geral, permanecer numa adolescência crónica que invadiu tudo. Parece que temos medo desse mundo do lado de lá. Os outros ficam calados e nada fazem, nem escrevendo uma linha quanto mais alertarem para o que ai vem. Falo dos salazarismo, franquismos, hitlerismo, stalinismos, etc.

Adiante. Muitos como Federica, sofreram, outros sofreram ainda mais e muitos pagaram com a vida. Ao que parece esses tempos estão a voltar. E haverá outras Federicas, e outros e outras ainda que vão ficar esquecidos/esquecidas na história, sem direito a um documentário, mas que se orglharam de lutar pela liberdade. Vamos ver como vais tu reagir?

5

joseDuarte5minutosé bom e pronto, limpa dessa miséria que passa nas rádios e televisão em geral

https://www.rtp.pt/play/p269/e379078/cinco-minutos-de-jazz